O Tratamento do Ronco e da Apnéia do Sono

Publicado no jornal Bem Estar – Março / 2011

Algumas patologias bastante severas continuam sendo vistas pela sociedade como coisas normais e até como algo que se deva a aprender a conviver, o que pode trazer sérios prejuízos à saúde global do paciente. No âmbito destas doenças estão o ronco e a apnéia obstrutiva do sono, patologias que merecem toda nossa atenção.
O Ronco é um problema social sério, atingindo cerca de 30% das pessoas, alterando inclusive a convivência com o cônjuge, sendo muitas vezes causa de separações, ou com os amigos, geralmente tornando a pessoa que ronca alvo de brincadeiras. É causado pela vibração dos tecidos da garganta (parede posterior da Faringe, dorso da língua, palato mole e úvula), em função da turbulência do ar à medida que as vias aéreas se estreitam. A obesidade, a respiração bucal e o uso de cigarro e álcool agravam de modo significativo o ronco. Em muitos casos o ronco é sintoma de outros problemas, como a Síndrome da Apnéia obstrutiva do sono, doença grave, quando em níveis mais elevados interfere de modo importante no agravamento de doenças que podem levar o paciente a morte, como hipertensão, enfarte do miocárdio e AVC (derrame) e diabetes.

A Apnéia do sono é a obstrução das vias aéreas por alguns momentos durante a noite, através da aproximação dos tecidos da garganta, fechando a passagem do ar e impedindo a respiração por alguns segundos, varias vezes por noite, e o ronco é a vibração dos tecidos da garganta no momento da passagem do ar. Esses problemas são freqüentes no homem a partir dos 30 anos e nas mulheres a partir da menopausa. Atualmente o tratamento através de aparelhos orais, tem ganhado importância no tratamento desses problemas, de fácil adaptação e grande eficiência, os aparelhos vem ganhando espaço como uma das principais formas de tratamento. Os principais sintomas da apnéia do sono são o ronco e a sonolência diurna excessiva. O ronco é também um fator de desagregação familiar, muitas vezes levando a pessoa que ronca a dormir em quarto separado, bem como torna a pessoa que ronca motivo de piadas entre companheiros de trabalho e amigos, quando tem que dividir quarto com algum destes. Para se realizar o diagnóstico da presença e a severidade da apnéia do sono, o paciente deve ser submetido a uma avaliação polissonográfica. (Exame em que o paciente dorme uma noite em um laboratório de sono onde é avaliado sobre todos os eventos durante a noite.)

Objetivos do tratamento. Para pacientes com ronco primário, sem característica de apnéia do sono ou de síndrome das resistências das vias aéreas superiores, o objetivo do tratamento é reduzir o ronco a um nível subjetivamente aceitável (padrão).

Para pacientes com apnéia do sono, o resultado desejado do tratamento inclui a eliminação dos sinais e dos sintomas clínicos de apnéia do sono e a normalização do IAH e da saturação de oxihemoglobina.

O Aparelho intra-Oral vem sendo usado no Canadá e nos Estados Unidos desde a década de 80 para o tratamento do ronco ou apnéia obstrutiva leve ou moderada. Para o roncador o aparelho tem uma eficácia de até 95% e para o apnéico de leve a moderada intensidade de até 80%. Porém, o aparelho só deve ser colocado por profissional da odontologia capacitado em medicina do sono e após a realização do exame de polissonografia, onde um médico é responsável pelo laudo diagnóstico da referidas doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>